"Quereis ser médico, meu filho? Esta é a aspiração de uma alma generosa, de um espírito ávido de ciência.
Tens pensado bem no que há de ser a tua vida?"

- Esculápio -

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Projeto Rondon - Operação Carajás (32) - The End

O Projeto Rondon, para nós, chegou ao fim. Durante quinze dias, quatro professores e dezesseis acadêmicos de duas universidades – UNIVALI, de Itajaí, Santa Catarina e FUMEC, de Belo Horizonte, Minas Gerais – estiveram no município de Curionópolis desenvolvendo trabalhos de cunho educativo e social. O objetivo principal do Rondon, que é o de formar agentes multiplicadores do conhecimento, foi plenamente alcançado.
Durante estas duas semanas, as duas universidades, juntas, produziram 91 atividades, divididas entre oficinas, palestras, capacitações e mesas-redondas na área da educação, saúde e cidadania, além de projetos de saneamento, meio-ambiente e sustentabilidade. No total, estas atividades atenderam um público estimado em mais de 2.000 pessoas, que hoje estão habilitadas a repassar o conhecimento adquirido à comunidade local.
O Projeto Rondon é uma parceria entre o poder executivo federal, coordenado pelo Ministério da Defesa, o poder municipal, representado pelas prefeituras, e as instituições de ensino superior, que enviam seus alunos e professores para o trabalho de campo. Não se trata de serviço assistencial, mas sim de educação para agentes multiplicadores, de modo a frutificar a semente plantada pelo projeto. Ressalte-se que todo o trabalho desenvolvido é voluntário, não recebendo alunos ou professores qualquer valor monetário por ele.
Nem banho frio, nem dormir no chão em colchonetes, nem falta de condições sanitárias, nem alimentação fora do contexto habitual. Nada abalou o moral e a vontade dos rondonistas que aqui estiveram. O desejo de ensinar e contribuir para o conhecimento da comunidade foi maior que qualquer adversidade enfrentada. É bem verdade que poderíamos ter contado com uma participação mais entusiasmada dos membros do executivo municipal, pois a ausência de uma liderança forte e efetiva trouxe alguns transtornos que precisaram ser sanados já com os trabalhos em andamento. Nada que tirasse o brilho e o êxito da operação por parte dos rondonistas.
A acadêmica Lígia, de fonoaudiologia, resumiu assim o Rondon em Curionópolis: “Uma experiência inesquecível. Viver com novas culturas, confrontar e deparar-se com grandes lições de vida. Isso sim é sentir uma realidade, é ter um curso intensivo de Brasil”. Já para Sheila, do curso de enfermagem, o Rondon “foi uma oportunidade de aprendizado única, uma lição de vida que nos leva a refletir a grande diversidade e desigualdade que existe no nosso país, e a satisfação de poder estar ajudando ao outro com um pequeno gesto é muito gratificante”.
Um ponto fundamental a ser destacado foi a grande participação popular, apesar de relativamente pouca divulgação. Todas as atividades contaram com número significativo de participantes, sempre atentos e participativos, nos fazendo crer que a semente da operação realmente renderá mais frutos que o esperado.
Enfim, cientes que a proposta foi plenamente atingida, voltamos do Pará com a sensação do dever não apenas cumprido, mas cumprido com louvor.

5 comentários:

Anônimo disse...

Ale...
Tenho certeza que foi uma experiência unica... Que todos vocês aproveitaram ao máximo... Mas Graças a Deus acabou e você está de volta...
Beijos Sche...

Fernanda Amábile disse...

Depois de tantos dias ouvindo:- passem as fotos!! chegou a minha vez de dizer:- passe as fotos prof! hsuhsuahsuhua
ou pelo menos poste as fotos dos últimos dias aí ausahushaushau
bjoooo

TACI disse...

Doctor, muito bacana... fiquei bem feliz ao ler seu post!! vivendo e aprendendo cada vez mais, experiencias que ficam gravadas nao só em um "curriculun", mas tbm na alma!! Parabéns.. e bem vindo a rotina!! bj

Lígia disse...

Tudo depende da logística Fernanda!
hehehehehhe

Lígia disse...

Estou morrendo de saudades! Parabéns pela realidade com que vc relatou os fatos por nós todos vividos. Estarão para sempre em minha memória e em meu coração.